O que você precisa conhecer sobre a febre do cavalo de Potomac? 

A erlichiose monocítica equina (EME) é uma doença infecciosa não contagiosa causada pela bactéria Neorickettsia risticii , a qual foi inicialmente descrita nos Estados Unidos em uma região próxima ao Rio Potomac, por isto é conhecida como a febre do cavalo de Potomac.

A doença tem carácter endêmico e sazonal, ou seja, possui região e época do ano específicas, geralmente tem ocorrência em áreas alagadiças, próximas a rios e lagos e nos meses mais quentes do ano. No Brasil a doença tem grande foco no Rio Grande do Sul.

A contaminação da EME pode ser por transfusão sanguínea, subcutâneo (camada abaixo da pele)  e por via oral, sendo que os caramujos são os principais transmissores da doença. Os animais infectados com a doença podem desenvolver quadros como diarreia severa, febre, desidratação, anorexia, cansaço fácil e até mesmo evoluir para a morte.

febre do cavalo

O tratamento da EME pode ser feito por meio da administração de PIROSAN, da Calbos, este medicamento deve ser administrado via intravenosa, conforme a recomendação da bula (1ml/20kg), e por um período determinado pelo Médico Veterinário responsável pelo caso, normalmente o tratamento consiste em 3 a 5 dias e devido a diarreia ocorre uma severa desidratação no animal, por isto, pode ser administrado junto ELETROLIFE FAST, para repor eletrólitos, além da fluidoterapia intravenosa. Em casos mais severos e somente com a indicação de um Médico Veterinário, deve ser administrado o OXITEC, que contém oxtitetraciclina, um antibiótico de ampla ação.

Atenção, o uso de antibióticos deve ser recomendado por um Médico Veterinário, uma vez que é indicado apenas em casos mais severos da doença, algumas afecções secundárias podem aparecer, e devem ser tratadas separadamente, como por exemplo a laminite, que exige outro tipo de tratamento.

Fonte: Portal Educação